Patrocínio
 IDMS

Jaraguá do Sul conquista 2º Prêmio Município Sustentável

Publicado em 17/03/2017 às 11:09 - Atualizado em 17/03/2017 às 11:11

Polo de grandes empresas nacionais e até multinacionais, Jaraguá do Sul é o município catarinense que tem o melhor Índice de Desenvolvimento Municipal Sustentável (IDMS) de 2016 - 0,790. O fato foi reconhecido pela Federação Catarinense de Municípios – FECAM, com a entrega nesta quarta-feira, 15, do Troféu Mérito Municipalista, fruto do “2º Prêmio Município Sustentável”, durante o XV Congresso Catarinense de Municípios.

O secretário da Fazenda de Jaraguá do Sul, Márcio Erdmann, recebeu a premiação do tesoureiro da Confederação Nacional dos Municípios - CNM, hugo Lembeck. “A evolução dos índices é primordial e depende de nós gestores públicos implantar políticas cada vez mais eficazes”, ressaltou o secretário  falando sobre a importância de seguir os indicadores para o planejamento e avaliação na gestão. A classificação dos municípios com melhor IDMS é completada por Joinville (0,798), Treviso (0,791), Joaçaba (0,758), Blumenau e Bombinhas, empatados na quinta posição com 0,754.

Entre os municípios que mais evoluíram no IDMS entre 2014 e 2016, destaque para Palmitos, com crescimento de 13,58% no índice. Imaruí, com 13,05%; Chapecó, 11,62%; Xaxim, 11,27% e Gravatal, com 11,15%, completam a lista do cinco que mais evoluíram nos últimos dois anos.

Além destas categorias, os municípios melhores classificados em cada uma das dimensões do IDMS também foram reconhecidos. Jaraguá do Sul, ficou em primeiro lugar no índice Sociocultural, com IDMS 0,841; Luzerna em Educação, com 0,914; Nova Erechim, em Saúde, com 0,891; Joinville, em Cultura, com 0,900; Lajeado Grande, em Habitação, com 0,984; Treviso, na dimensão econômica, com 0,762; Navegantes, na área ambiental, com 0,879; Piratuba, no quesito político institucional, 0,824; Bombinhas, em finanças públicas, com 1,000; Joinville e Blumenau, na análise sobre gestão pública, com 0,956; e Rio Fortuna, em participação social, com 0,730.  

De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Regional da FECAM, Emerson Souto, o prêmio tem como objetivo estimular o uso do IDMS como instrumento de apoio a gestão pública no processo de desenvolvimento dos municípios. “Nossa ideia com o prêmio não é comparar os municípios, mas sim disseminar a importância do IDMS para subsidiar o planejamento e a avaliação das políticas públicas desenvolvidas nos municípios catarinenses, tanto pelo poder público, como pela sociedade”, destaca.

Os dados foram coletados entre 1º a 30 de setembro de 2016.

A premiação é dividida em categorias. São considerados os municípios destaques no índice geral, nas dimensões e nas subdimensões do IDMS/2016, conforme os seguintes critérios: os cinco municípios melhores classificados no Índice geral de Desenvolvimento Municipal Sustentável; Os cinco que obtiveram o maior crescimento no valor do IDMS/2016 em comparação ao IDMS/2014 (apenas no índice geral); O município melhor classificado em cada uma das dimensões: Sociocultural, Econômica, Ambiental e Político-Institucional; O município melhor classificado em cada uma das subdimensões: Educação, Saúde, Cultura, Habitação, Participação Social, Gestão Pública e Finanças Públicas;

Índice de Desenvolvimento Municipal Sustentável (IDMS) - Criado em 2012 pela FECAM, o IDMS é uma medida que avalia o nível de desenvolvimento sustentável de um município, considerando o equilíbrio no desenvolvimento das dimensões Sociocultural, Ambiental, Econômica e Político-Institucional. A metodologia utilizada e os índices estão disponíveis no endereço http://indicadores.fecam.org.br.

O Prêmio Município Sustentável é promovido pela Federação Catarinense de Municípios - FECAM, em parceria com as 21 Associações de Municípios e as instituições que compõem a Rede do Sistema de Indicadores de Desenvolvimento Municipal Sustentável (Rede SIDEMS) e tem por objetivo valorizar os municípios catarinenses que possuem os melhor IDMS.